VNZ

 
 

Dicas

Verifique antes de sair

1. Gola
Com ela fechada, um dedo deve caber entre o tecido e o pescoço. Tudo precisa ficar confortável, claro. Procure conhecer suas medidas para facilitar na hora da compra.
2. Torso
A camisa deve ficar próxima ao corpo, mas não colada. Os botões jamais devem ficar repuxados. Modelos sociais sempre devem ficar para dentro da calça, os casuais, a gosto do freguês.
3. Gravata
A ponta deve ficar exatamente em cima da fivela do cinto, onde se a parte de trás ficar mais longa, deverá ser escondida dentro da camisa.
4. Prendedor
Detalhe que faz toda a diferença, deve ficar 20cm abaixo do nó e prender a gravata na camisa.
5. Mangas
Com os braços para baixo, elas devem ficar na altura do ossinho do pulso.

Fonte: Vip Guia de Estilo 2015.

Os símbolos em etiquetas de roupas são fundamentais para você ter os devidos cuidados com a sua peça. Confira lista explicativa com os principais!

Para conservar as roupas de cama, mesa, banho e até mesmo as roupas que usamos diariamente, é muito importante prestar atenção nas etiquetas advindas juntamente com a peça na hora da compra. Sabemos que a maioria das pessoas, sequer possui esta preocupação, visto que os símbolos em etiquetas de roupas, por vezes, são indecifráveis para pessoas mais leigas no assunto. Assim, fizemos este post especial com dicas importantes, além de um infográfico, para você manter as suas roupas belas e conservadas.

Acredite, os símbolos são mais simples do que parecem!

No primeiro momento pode parecer que os símbolos em etiquetas de roupas são muito complicados, mas basta, apenas, um pouco de atenção que o processo de conservação se torna muito simples.

Algumas etiquetas possuem legendas para os símbolos, porém, a maioria possui apenas os desenhos, pois para o pequeno espaço não cabe uma explicação mais detalhada.

Símbolos das etiquetas

Os símbolos são regulamentados pelo Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro) e obrigatórios desde 2004. Além de dicas para a conservação do produto, a etiqueta precisa conter outros dados importantes como, por exemplo, o CNPJ, razão social, país de origem e tamanho da peça. Elas são universais, dentro das normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e fiscalizadas para que a lei seja cumprida.

Por vezes, os órgãos responsáveis realizam testes para saber se as informações dos símbolos em etiquetas de roupas correspondem à realidade. Se há algo errado, a empresa fabricante é autuada.

Dicas que vão além dos símbolos de etiquetas

- Roupas brancas e coloridas devem ser lavadas separadamente visto que as peças de cor podem manchar as peças brancas;
- Na lavagem de peças brancas, deve-se tomar cuidado com o alvejante. O produto químico pode amarelar o tecido;
- Peças que soltam fiapos (como toalhas de louça e de banho) devem ser lavadas separadamente para que elas não estraguem as outras peças;
- Separe as peças menos sujas das mais sujas, afinal, para quê submeter a uma lavagem mais intensa peças que com uma simples esfregada podem limpar?
- Roupas de lã ou tricô devem ser lavadas com mais cuidado, pois os fios podem soltar e danificar a peça. O mesmo cuidado deve se ter na hora de pendurá-las;
- Peças que levam na composição fibras naturais podem encolher se secadas em temperaturas mais altas;
- Passe as roupas escuras do lado avesso para não desbotar;
O mais importante de é que este material funciona como um “RG” de sua peça, ou seja, é principalmente pelas etiquetas que você tem acesso a observações importantes e fundamentais de conservação. Portanto, nada de cortá-la ao primeiro uso e se for impossível não retirá-la, guarde-a em local seguro para uma consulta posterior na hora da lavagem.

Como remover manchas de tecidos?

Rami e Linho Puro
A fibra de Rami é muito resistente, porém, delicada e fina, o que inspira certos cuidados tanto durante a lavagem quanto à agressão de produtos químicos de limpeza ou substâncias que possam causar manchas. Para uma lavagem segura, utilize a programação “delicada” de sua máquina de lavar e para secagem, não há restrições específicas.

Algodão e outros tecidos naturais
São peças com toque macio e delicado e exigem um cuidado especial na hora da lavagem.
Evite deixá-las de molho, utilize sabão e detergente neutro, dando preferência a secagem ao ar ambiente.

Couro
Manchas em couro claro podem ser removidas se você passar uma borracha macia, mas se a peça estiver muito suja, lave cuidadosamente com sabão líquido e neutro. Você também pode limpar o couro branco, friccionando leite com uma flanela branca seca, ou esfregando uma batata crua descascada.
Para eliminar manchas em pelica branca ou clara, use um removedor de esmalte. Se persistir, passe na área manchada um pano embebido em benzina pura.


Deixe de molho com água morna e uma colher de sopa de glicerina (ou amoníaco) para garantir a maciez. Não torça, apenas esprema e deixe secar na sombra e se a lã for colorida, adicione um pouco de vinagre na água e branca, um pouco de água oxigenada.
Se a mancha for pequena, uma escovinha umedecida com álcool pode resolver.

Tecidos Sintéticos (100% Poliéster)
Apesar de resistente à luz e umidade, devem ser limpas com escova umedecida numa mistura em mesma proporção de água e álcool e não devem secar ao sol para que não haja ressecamento. Para evitar desbotamento, procure não expor suas peças diretamente sob o sol e, em caso de manchas, procure limpar imediatamente com papel toalha e em seguida com pano umedecido.
Os cuidados com o couro sintético são menores (veja tecidos 100% poliéster).
Para tirar manchas de café e vinho do couro sintético branco, use água sanitária.

Seda
Para lavar peças de seda, use uma bacia e despeje Varsol até cobrí-la, deixando de molho por uma hora e depois torça a roupa dentro de uma toalha e seque à sombra, em lugar arejado. O cheiro do produto leva até 3 dias para sair.
Para tirar manchas use benzina ou éter, lavar com água e sabão pode fazer com que a peça perca a luminosidade. O leite tira aquele amarelado da seda branca, lave a peça, deixe-a de molho por 30 minutos num balde com água e ½ litro de leite e enxágue.

Veludo
Para remover manchas de tecidos como o veludo, basta utilizar uma escovinha umidecida com álcool, jamais com água e sabão.

Tipos de manchas
Barro: Espere secar e só depois use uma escova, para retirar os resíduos da terra. Em seguida, lave bem o local com uma solução de água quente e vinagre, misturados em partes iguais (para cada copo de água, um copo de vinagre).

Batom: Tire o excesso com papel ou uma toalha absorvente. Lave com detergente e esfregue delicadamente.

Café: Pode sair facilmente com uma pedra de gelo mas se não funcionar, esfregue uma solução de água e bicarbonato de sódio. Se a mancha de café já estiver seca, esfregue um pano úmido com vinagre branco ou álcool.

Caneta: Misture leite integral e álcool em partes iguais e passe na mancha.

Chiclete: Tire o excesso com o lado sem corte de uma faca e depois passe gelo sobre o chiclete, até que ele endureça e se soltei do tecido. Outra opção é colocar a peça em um saco plástico e deixar no congelador até que o chiclete endureça.

Desodorante: Para retirar manchas amareladas em camisas brancas, misture uma colher de sopa de bicarbonato de sódio com uma colher de sopa de suco de limão. Aplique, espere por 1h, enxague e lave normalmente.

Ferro de passar: Use água oxigenada sobre a mancha amarelada do ferro e lave com bastante água.

Ferrugem: Misture um pouco do sumo do limão verde com sal e passe sobre a ferrugem, em seguida coloque a peça em um local que tenha sol. Quando a mancha sair, lave normalmente.

Frutas: Aqueça um pouco de vinagre branco e esfregue o local;

Gordura: Misture 1 litro de água quente com 1 colher de sopa de amoníaco e passe sobre a mancha com uma escovinha e depois, limpe com água e vinagre. Outra sugestão é usar talco comum sobre a gordura e deixar agir por algum tempo, até que o talco absorva a mancha e em seguida é só lavar.

Graxa: Coloque detergente de louça em cima da mancha, espere 20 minutos, esfregue e lave normalmente. Se ainda assim não sair, passe uma boa quantidade de manteiga ou margarina sobre a mancha, esfregue até que a graxa “desgrude” por completo e limpe a gordura com detergente e lave normalmente.

Pomada: Use sabão de coco e esfregue em seguida, deixando-a de molho por uma hora sobre o sol. Depois enxague e se necessário, repita o processo.

Ketchup: Aplique vinagre branco e lave em seguida.

Molho de Tomate: Molhe na água o quanto antes e depois aplique amido de milho, deixando o produto no local até secar. Retire o amido posteriormente com auxílio de uma escova.

Vinho tinto: Aplique o vinho branco por cima e em seguida lave normalmente.

Sangue: Passe gelo e enxágue com sal e água fria. Depois, aplique mais água e sabão em pó, e esfregue bem. Na sequência, faça mais duas boas lavagens com água e sabão.

Suor: Manchas amareladas de suor podem ser retiradas com sumo de limão. Coloque sobre a blusa seca e deixe por um tempo, depois coloque-a de molho.

E para deixar os tecidos mais brancos, a receita mais tradicional de todas é usar sabão de coco e deixar no sol. Onde há sol forte, deixe as peças de molho em água com um pedaço de sabão de coco e se der para estendê-las sobre um gramado, melhor ainda.

Cachecol masculino – Como usar

Não basta apenas colocar o cachecol de qualquer jeito ao redor do pescoço: é preciso saber a maneira de usar para compor o visual e ficar aquecido e com estilo ao mesmo tempo.

A escolha do cachecol deve levar em conta o pescoço masculino. Para pescoços muito finos e/ou compridos, pode-se usar um cachecol mais volumoso para equilibrar o visual.

Já no caso de homens com pescoços largos e curtos, os cachecóis de tecido mais fino ficam melhor, para não dar um efeito exagerado.

Existem alguns jeitos de usar cachecol, e nós vamos mostrar três que ficarão ótimos, todos fáceis e simples. O primeiro nó é conhecido como nó parisiense, e é bastante comum apesar de poucos saberem o nome.

Pegue o cachecol pelas pontas deixando de igual tamanho e depois passe ele ao redor do pescoço, e no lugar onde ficou um laço, passe as duas pontas do cachecol. Daí é só puxar um pouco até ajustar, mas não deixe justo demais.

Nó parisense

O segundo nó é conhecido lá fora como “once-around knot”, que numa tradução literal seria “uma volta ao redor”.

Esse nó é semelhante a um de gravata e para fazer basta pegar o cachecol e passar ao redor do pescoço, em seguida passar um lado por cima do outro e pegar esse mesmo lado e passar por dentro do pescoço. Ajuste um pouco e pronto.

Ele pode ser usado também um pouco despojado, fica ótimo.

O terceiro jeito é o mais básico, e consiste em passar o cachecol pelo pescoço e dar duas voltas ao redor. Ele é mais indicado no caso de homens com pescoço fino, pois acaba ficando mais volumoso, especialmente se o material for lã.

Assim como o nó parisiense, ele é ótimo para deixar o pescoço bem aquecido, ao contrário do nó de uma volta, que deixa a região um pouco mais arejada.

Nó uma volta ao redor

Se quiser, você pode misturar esse último nó com o nó de uma volta. Nesse caso, ele é indicado ainda mais para homens de pescoço fino, mas é importante ter cuidado para não ficar exagerado e destoar no visual, deixando excessivamente volumoso ao redor do pescoço.

O cachecol, independentemente do nó que você escolher, deve ser deixado com as pontas desiguais para dar mais movimento, e ele fica bem com muitos estilos. Você pode usar com jeans e blazer, com uma jaqueta e mesmo com ternos, para ocasiões mais formais.